in

Meninos resgatados na Tailândia revelam que fome e medo assombraram os 12 meninos durante os dias presos em caverna

Essa foi a primeira vez que os meninos e o técnico do time “Javalis Selvagens” deram uma coletiva sobre como foi vivenciar dias tão difíceis presos em uma caverna.

O medo e a fome foram os piores algozes da jovem equipe que não sabia como conseguiriam sair, porém, narrar toda a angústia que viveram deu lugar  à alegria ao reencontrar os mergulhadores que fizeram o resgate. Os garotos e o técnico não pararam de sorrir com a presença dos britânicos que foram os verdadeiros heróis na vida deles.

A idade média do grupo de meninos é de 11 a 16 anos. O treinador também é jovem, ele tem apenas 25 anos e teve que ser um líder também fora do campo, dentro da caverna.

O mundo inteiro acompanhou as notícias diárias que a todo o momento chegavam nos telejornais, rádio e web torcendo para que tudo desse certo o mais rápido possível.

Privados de tudo e em um ambiente úmido e escuro, eles não levaram alimentos como antes se havia pensado, por isso todo o tempo que eles ficaram presos na caverna foi ainda pior do que se poderia imaginar.

Veja o que eles contaram e como sobreviveram.

Os meninos deixaram claro que o técnico continuou sendo um líder entro da caverna, procurando cuidar de cada um deles para que não entrassem em pânico.

Sobre a água, disseram que só conseguiam alguns goles com a água que caia das pedras, mas não é o suficiente para uma pessoa viver com saúde.

Todos concordam que a fome foi terrível. Eles tentavam não pensar na falta de alimento, mas após dois dias presos, o corpo começou a dar sinais de fraqueza e desgaste.

O que esses jovens e técnico viveram, foram dias de terror. No escuro, sem água, comida e em um ambiente escuro e úmido.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇


Thumbnails" widget to render:

What do you think?

2 points
Upvote Downvote

Ela usava uma bola de basquete no lugar das pernas; veja como está hoje

Médica americana explica o segredo no tratamento de tumores usando a cúrcuma, segundo ela, não há nada mais eficiente.