in

CATRACA LIVRE RECEBEU R$ 2 MILHÕES VIA LEI ROUANET NA ERA DILMA

O site Terça Livre fez uma pesquisa sobre verba recebida pelo site Catraca Livre através da Lei Rouanet, e chegou a impressionante quantia de R$ 2 milhões, através de várias empresas ligadas ao empresário Gilberto Dimenstein.

Jornalista da rádio CBN e notório ativista das causas politicamente corretas, Gilberto Dimenstein, através de seu site Catraca Livre e sua página com o mesmo nome nas redes sociais, é muito conhecido pelos intelectuais progressistas brasileiros.

Ele promove e levanta a bandeira de todos movimentos radicais extremistas da esquerda que abordam  o feminismo, o movimento LGBT, a liberação das drogas, a descriminalização do aborto, a radicalização da lei ambiental.

O que ninguém sabe, é quem patrocina o site.

Entre 2011 e 2015 duas empresas, a CATRACA LIVRE PORTAL E COMUNICAÇÃO LTDA e a EXPERIMENTAR COMUNICAÇÕES LTDA, ambas controladas pela holding CIDADE ABERTA ADMINISTRADORA DE EMPREENDIMENTOS SOCIAIS LTDA, cujo sócio administrador é Dimenstein, receberam cerca de 2 milhões de reais via Lei Rouanet.

No Salic (sistema do site do Ministério da Cultura), é possível ver as imagens dos processos da Lei Rouanet, autorizando os recursos para as empresas de Dimenstein.

A EXPERIMENTAR COMUNICAÇÕES LTDA, recebeu financiamento para o Projeto Catraca Livre, que teria como objetivo o jornalismo comunitário que utiliza a cultura digital como instrumento de difusão e democratização cultural nas 5 regiões da cidade de SP. .A Concessionárias do Sistema Anhanguera – Bandeirantes S/A doou um total de R$ 458.400,00, o que a dispensou de pagar imposto de renda sobre essa bolada.

Em outro projeto, intitulado A Democratização Cultural e o Incentivo às Ações Locais, eles apresentaram a ideia de divulgar por meio de publicação , “A Democratização Cultural e o Incentivo às Ações Locais”. E nesse caso recebeu  R$ 364.078,00 da Votorantim Cimentos Ltda.

De acordo o próprio Catraca Livre, foi disponibilizado um site para esse projeto, o http://projetoconexaocultural.com.br/, o qual encontrava-se fora do ar quando acessado por nossa equipe.

CATRACA LIVRE PORTAL E COMUNICAÇÃO LTDA, é outra empresa da holding de Dimenstein, essa também foi beneficiada pela Lei Rouanet em dois processos e iniciou um terceiro, em processo de captação.

O primeiro “Projeto Catraca Livre” o objetivo, vejam só, é a manutenção da plataforma necessária para atualização diária de programação cultural gratuita ou a preços populares a partir do banco de dados do site http://www.catracalivre.com.br pelo período de 12 meses, beneficiando um público de mais de 11 milhões de pessoas.

Ou seja, o contribuinte pagou para manter no ar um site que anuncia coisas gratuitas. A bolada não foi nada gratuita. Custou aos cofres públicos R$ 700.000,00 captados por doações do Banco Itaú e de duas empresas concessionárias de rodovias controladas pelo grupo CCR (aquele das empreiteiras da Lava-jato, a Camargo Corrêa e a Andrade Gutierrez).

Já o projeto “Catraca Livre 2015”, teve como objetivo a manutenção, atualização e continuidade do site Catraca Livre em 2015/2016. Que custou R$ 400.000,00 provenientes do Banco Itaú.

O “Estação Catraca Livre”, é um projeto em andamento, na fase de captação de recursos, que promete levar shows musicais às cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

O valor de R$ 2.230.360,00 teria sido aprovado, mas com a saída de Dilma da presidência a verba ainda não teria sido liberada.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇


Thumbnails" widget to render:

What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Grupo de voluntários resgata cachorro com cabeça partida em Resende, RJ

Está definido o relator do processo de Bolsonaro no TSE