Incentivar amizade entre crianças é imprescindível para o amadurecimento social

Alguns dos laços mais profundos começam na #infância e podem ser imprescindíveis no amadurecimento social. O especialista em educação Marco Gregori, pai de Sophia e Chiara, ressalta que é essencial proporcionar o convívio, desde cedo, com outras #crianças e ensinar o valor de se ter um amigo. “Assim, elas acessam novas emoções e desenvolvem as relações afetivas”, afirma ele, que também é fundador e CEO da Eduinvest e da Rede VIAe.

Gregori explica que a #amizade faz com que os pequenos aprendam a conviver com os outros, a dividir brinquedos, a lidar com diferenças, a criar empatia e respeito pelo próximo. Eles também passam a entender, na prática, o conceito de colaboração. “São habilidades socioemocionais importantes para a sobrevivência no século 21 e que podem fazer diferença no futuro.”

Sobre a tendência de as famílias optarem por #filhos únicos e o fato de as crianças viverem cada vez mais em apartamentos – perdendo um pouco do hábito de se brincar na rua – o #especialista esclarece que isso não atrapalha a criação dos vínculos. Segundo ele, é papel dos pais incentivar as amizades em qualquer dos ambientes que o pequeno frequente, seja na pracinha, na escola, na própria #família – na figura dos primos e dos filhos de amigos.

Leia mais:

“O #pai e #mãe devem ter participação ativa neste processo. E uma das formas é dar o exemplo, convivendo com frequência com seus próprios amigos e os valorizando”, diz.

Abrir sua casa para receber a garotada, tomar a iniciativa de criar programações e deixar que seu filho também visite os amigos são outras dicas preciosas.

E o que fazer quando os amigos brigam? Gregori não aprova o velho hábito do “vamos dar as mãozinhas e fazer as pazes”. Conforme ele, os pais até podem intervir nos desentendimentos, mas de modo reservado e com muita delicadeza.

“Nesta hora, é preciso se colocar no lugar da criança para, só então, provocar sua autocrítica dos motivos que levaram à briga.”

E nunca é demais lembrar: quantidade não é qualidade. O especialista destaca que o mais importante é estimular relações harmoniosas e respeitosas.

“Em tempos em que a contabilidade de amigos virou algo banal, por conta das redes sociais, é básico que os pais deixem claro o que importa realmente: a força dos laços e não o número deles”, conclui.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here